Não podendo mudar tudo do mundo num único instante… poderemos dar pequenos passos rumo a um mundo melhor para todos
Sexta-feira, 13 de Março de 2009

Este poema que abaixo se transcreve é dedicado a todos aqueles que, como eu, gostam de um bom livro! Seja científico, seja um bom romance ou apenas palavras escritas com apenas o sentido que o próprio autor lhes dá. Aqui fica...

 

Já não faço amor

Só amo

Só o amor une grande

A independência

À liberdade

 

Não ler é como ter

Vergonha de perguntar:

- Amas-me?

 

Há uma razão do sémen

Para os poetas se repetirem

Os homens não os ouvirem

 

Não ler é como ir ver o mar

E não olhar para o mar.

 

Poema publicado por Joaquim Castro Caldas em Só cá vim ver o sol, Edições Quasi.

 

Boas leituras! Se não para a vida pelo menos para o fim-de-semana.

publicado por M.M. às 21:30
tags:


Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

15
17

22
23
25
26
27
28

29
31


Go revolution
Join Greenpeace 7 Step Climate Campaign
Em acção
www.greenpeace.pt
mais sobre mim
as minhas fotos
pesquisar
 
as minhas fotos