Não podendo mudar tudo do mundo num único instante… poderemos dar pequenos passos rumo a um mundo melhor para todos
Quarta-feira, 27 de Maio de 2009

Durabilidade, estabilidade e resistência à desintegração! São estas as propriedades que fazem do plástico um dos produtos com maiores aplicações e utilidades junto do consumidor final. Tal facto transforma-o, também, num dos maiores vilões ambientais. São produzidos anualmente cerca de 100 milhões de toneladas de plástico e destas, cerca de 10% acabam nos oceanos.

 

Imagem retirada daqui.

 

No Oceano Pacífico há uma enorme camada flutuante de plástico, que já é considerada a maior concentração de lixo do mundo, com cerca de 1000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessa o Hawai e chega a meio caminho do Japão e atinge uma profundidade de mais ou menos 10 metros - acredita-se que haja neste vórtex de lixo cerca de 100 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos. 
Restos de redes, garrafas, tampas, bolas, bonecos, patos de borracha, ténis, isqueiros, sacos plásticas, caiaques, malas e tudo o resto, passível de ser feito em plástico. São estes os ingredientes da maior sopa flutuante do mundo!

 

Imagem retirada daqui.

 

Alguns cientistas alertam para o facto de que todas as peças de plástico que foram fabricadas desde que descobrimos este material, e que não foram recicladas, ainda andam por aí! A juntar a este facto há, ainda, o problema das partículas decompostas deste plástico. Segundo dados de Curtis Ebbesmeyer em algumas áreas do Oceano Pacifico pode encontrar-se uma concentração de polímeros de até seis vezes mais do que o fitoplâncton, base da cadeia alimentar marinha.

 

Segundo PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), este plástico é responsável pela morte de mais de um milhão de aves marinhas todos os anos. Sem contar toda a outra fauna que vive nesta área, como as tartarugas marinhas, os tubarões, e todas as outras espécies de peixes.

 

Pensem nisto! E da próxima vez não pensem só em reciclar! Mas também em reduzir o consumo. Porque é que têm de comprar fruta embrulhada em duas camadas de plástico? Porque é que têm de trazer do hiper 10 sacos, quando tudo o que compram cabe em três?

 

Fontes: The Independent, Greenpeace e Mindfully

 

publicado por M.M. às 14:36

Concordo plenamente contigo!
Ñ fosse eu da área da Biologia/Geologia.
Sou a favor de todas as campanhas em prol da preservação de todo um Ecossistema que é o Planeta Terra.
Anabela a 27 de Maio de 2009 às 17:19

Bom, tudo isto é preocupante.

Sobre a parte final, quando vou às compras (já lá vai o tempo que essa prática era quase diário), eu acumulava uma boa quantidade de sacos de plástico. Eram perfeitos para acomudar o lixo doméstico e afins.

De qualquer das maneiras, estava a poupar a compra dos tradicionais sacos de lixo, que também são de plástico. De facto, eu usava-os para fins de racionalização e higiénicos.

Que me dizes?
Rogério Carvalho a 27 de Maio de 2009 às 17:48

A ideia antes de reutilizar é REDUZIR a quantidade de plástico que temos lá por casa... Se quando formos ao supermercado levarmos o saco das compras, já não precisamos de trazer para casa essa "quantidade" de plástico =)

Em relação à reutilização ela é sempre boa!
Em relação aos sacos do lixo a grande diferença é que se pegarmos num "saco do lixo" ele está preparado para levar lixo, é feito de material resistente e tem um fecho específico para o efeito! Enquanto que os vulgarissimos "sacos de plástico" são fragéis e rompem-se facilmente.... Em relação ao custo associado... Um rolo de "sacos do lixo" com uns 20 sacos compro-o por 1€/1,5€.... Não é por aí... Este custo equivale a 3 cafés =)
M.M. a 28 de Maio de 2009 às 13:19



Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
23

24
25
28
29
30

31


Go revolution
Join Greenpeace 7 Step Climate Campaign
Em acção
www.greenpeace.pt
mais sobre mim
as minhas fotos
pesquisar
 
as minhas fotos