Não podendo mudar tudo do mundo num único instante… poderemos dar pequenos passos rumo a um mundo melhor para todos
Segunda-feira, 12 de Abril de 2010

Jerome Delay/Associated Press

 

Ruot Wiyual, de dois anos de idade, desmaia num hospital de Akobo, Sudão. Dois anos de seca e confrontos tribais nesta região sudanesa na fronteira com a Etiópia são as principais causas para uma crise humanitária nesta região, à qual a ONU chama o “lugar mais faminto do mundo”. Um estudo recente concluiu que 46 por cento das crianças da região estão desnutridas.

 

Fonte.


Sábado, 20 de Fevereiro de 2010

Estamos, actualmente, aqui em Mongoumba, com cerca de 20.000 refugiados congoleses. Estes partiram das suas casas não para fugir de um conflito concreto, fugiram com medo. Na verdade, existiram algumas situações de conflito a quase 300km de suas casas, mas não é bem disso que eles fogem. Eles ouviram dizer que há um feiticeiro que se move só com o pensamento e que mata indiscriminadamente à sua passagem e que, segundo alguns ouviram dizer, iria vir às suas aldeias…
Pois é, eles abandonaram as suas casas trazendo tudo com eles. O problema é que, já decididos a regressar, viram chegar a Mongumba ONGs e organismos humanitários cheios de cominda, medicamentos para lhes distribuir gratuitamente. Claro, numa situação destas, todos abandonaram a ideia de regressar e, neste momento, estes organismos servem de chamariz para todos os que ousam ficar do outro lado da fronteira.

Neste momento, como para as ONGs é impossivl saber quem são os refugiados e quem são as pessoas da nossa aldeia começaram a distribuir mais ou menos tudo por toda a gente. Assim, ninguém trabalha os campos e todos tentam aproveitar o mais possivel a situação.

Para nós, tudo isto destrói o trabalho de todos os missionários que por cá passaram e que, ao longo dos anos, lutaram para que as pessoas lutassem elas mesmas pelo desenvolvimento… Só Deus sabe em que situação de pobreza ficará esta gente quando estes organismos abandonarem o local… Que Deus nos dê a força de ousar recomeçar quando esta gente não tiver mais o que comer, o que vestir e quando tiver de recomeçar a trabalhar para sobreviver, para ir ao hospital e à farmácia, mesmo para pagar a inscrição das crianças na escola… Certamente não ficará pedra sobre pedra mas Deus não abandona nunca o Seu povo, por isso, guardamos a esperança e tentamos minimizar, na medida do possível, os estragos que esta “ajuda humanitária” está a provocar.

 

Testemunho da Susana, Leiga Comboniana na RCA

 

Susana, Maria Augusta e brevemente Márcia, não nos esquecemos de vocês nas nossas orações... que o Senhor sempre vos dê a mão quando precisarem..

publicado por M.M. às 17:58
tags:

Quarta-feira, 04 de Novembro de 2009

No século XXI, a África constitui-se definitivamente como fornecedor de recursos naturais das duas superpotências. A China não impõe contrapartidas políticas, enquanto os Estados Unidos não são indiferentes aos problemas de segurança e às emergências humanitárias. A não ingerência de Pequim é mais sedutora para os Estados africanos.

 

Com a ascensão da China ao estatuto de superpotência, o novo milénio apresenta-se como um mundo bipolar tendo como centros Washington e Pequim. A nova realidade é visível especialmente no relacionamento do G2, a China e Estados Unidos, com África.

 

O gigante asiático não está nos negócios com África para exportar modelos de desenvolvimento ou projectos políticos, em oposição aos Estados Unidos, que pretendem contrapartidas como mais democracia, liberdade, direitos humanos e o domínio da lei...

Fonte.

 

 

Se alguém quiser assinar a Além-Mar poderá fazê-lo aqui.

A Além-Mar é uma revista missionária editada pelos Missionários Combonianos para dar voz e vez aos povos e igrejas dos países do Sul.

publicado por M.M. às 20:27

Terça-feira, 21 de Julho de 2009

Há uma música que diz algo do género:

Peregrino aonde vais

Se não sabes aonde ir

Peregrino tens um caminho a descobrir....

 

Para fazer jus à frase decidi colocar a mochila às costas e peregrinar! Como o caminho a descobrir é extenso, nada como fazê-lo em grupo. Sexta-feira à noite contamos já estar em Fátima!

 

 

Assim seja.. e eu ainda sinta pés e pernas =)

publicado por M.M. às 15:16
tags:

Terça-feira, 10 de Março de 2009

Hoje tive a oportunidade de participar nas minhas primeiras jornadas teológicas! Sabia perfeitamente que estava a pisar terreno minado, mas mesmo assim arrisquei. Não porque tenha instinto suicida, mas porque gosto de pisar o risco! Mas no final, não houve mortos, nem feridos... Todos contribuímos para o engrandecimento desse grande Reino anunciado por Jesus Cristo há 20 séculos atrás.

 

Ouvi muitíssimas coisas que não sabia e outras mesmo que não fazia ideia. Ouvi outras coisas com as quais não concordei, mas que não me aqueciam nem arrefeciam. No entanto, há coisas que se ouvem com as quais não se concorda e nos fazem saltar da cadeira, como se tivéssemos molas. É dessas que este post pretende dar conta, numa perspectiva de crescimento e não de crítica.

 

As Jornadas tratavam de Paulo de Tarso (ou S. Paulo), o apóstolo! O perseguidor dos seguidores de Cristo que acabou depois por ser chamado por Ele para anunciar o Reino de Deus. É sempre extraordinário olhar para estas figuras bíblicas e ver nelas homens e mulheres completamente integrados na sociedade do seu tempo, mas que sendo chamados por Deus ouvem esse chamamento e respondem a ele.

 

Quando há uma conferência, um debate, um colóquio ou seja o que for procuramos sempre (eu pelo menos procuro!) retirar o que de melhor nos têm a oferecer os oradores e é sempre interessante ver as diferentes formas de comunicar entre quem está a falar e os que ouvem, que forçosamente são mais e exigem sempre um nível de compreensão acima da média por parte das declarações proferidas. Devido ao receio de erro ou pura e simplesmente à falta de tempo, alguns oradores acabam por optar pela leitura de um texto mais ou menos discorrido sobre as suas vivências e sobre as suas próprias investigações - neste caso bíblicas. O problema é ver, sempre, se a passagem da leitura à conversação se faz da melhor forma, desta vez isso não aconteceu.

 

A diferença entre o rigor da palavra escrita e a leveza das declarações proferidas esta tarde deixou-me boquiaberta: grosso modo um dos oradores reduziu o papel dos leigos na igreja ao de "fazedores de filhos". Perante isto apeteceu-me logo saltar da cadeira, mas fui-me mantendo colada à cadeira, a custo é certo.

 

A vocação laical é tão importante como a vocação sacerdotal, consagrada ou religiosa. Deus chama-nos à acção de diferentes formas. Depois de ouvido o chamamento a necessidade da resposta impõe-se: ou sim ou sopas. Mas como na vida nem tudo é sim ou não, como na vida da igreja não há presbíteros e os outros, TODOS temos uma função muito específica dentro da instituição-Igreja.

 

Um leigo é um leigo. Não é um fazedor de ovelhas para as dar a guardar aos pastores.

 

Um leigo é um leigo. É-lhe exigido comprometimento. É-lhe exigido testemunhar Cristo na sua vivência quotidiana. E, quanto a mim, não há nada mais bonito como ver, ouvir e até tocar em tantos testemunhos de leigos e leigas que entregam a sua vida em favor do Reino de Deus. Não há nada mais bonito do que poder ver os leigos comprometidos no "meio de nós", com uma humanidade palpável, com um testemunho fidedigno do exemplo de fraternidade e de comunidade que Jesus pregou e vivenciou enquando viveu entre nós.

 

Os leigos comprometidos já têm a forte convicção de que é Deus que os chama e que os envia para o meio da sociedade em que vivem, completamente nua de valores. Eles sabem que podem sempre contar com Deus que é Pai e Mãe, que lhes pega ao colo sempre que precisam de um gesto, de uma palavra... Mas precisam do sentido comunitário, como o viviam as primeiras comunidades de cristãos.

 

Os leigos são o futuro da Igreja e cada vez mais há a necessidade de voltar a aproximar os pastores das ovelhas, não só quando é preciso orientá-las, não só quando se tresmalham do rebanho. Os leigos precisam de se sentir queridos e acarinhados, precisam de manter uma relação afectuosa, comunitária para que dela brote todo o seu trabalho ou pelo menos parte dele, para que sintam que "não vão sozinhos", que têm a suportá-los uma Igreja que lhes dá colo quando precisam, que respeita a sua vocação laical.

publicado por M.M. às 22:57
tags:

Domingo, 16 de Novembro de 2008

Carlos,

Obrigada pela tua generosidade

Obrigade pela tua alegria

Obrigada pela tua disponibilidade

 

Amanhã estarás de partida. Não é um adeus, é certo. É um até logo. Um até já. Vemo-nos por aí. Neste momento da tua partida queria agradecer-te por toda a alegria, sinceridade e serenidade que nos trouxeste.

 

Vai, meu irmão, vai. Para lá, onde é a tua nova terra. Tenho a certeza que a tua presença em Carapira será sempre um dom de Deus para todos aqueles com quem te cruzarás.

 

Deste lado ficamos com o coração apertadinho de te ver partir, mas é com alegria que te vemos partir para a realização da tua vocação missionária. A missão é partilha, é entrega, é um chamamento que só nós entendemos bem no fundo do nosso coração do tamanho do mesmo mundo onde somos chamados a agir. Que S. Daniel Comboni te acompanha em todos os passos da caminhada.

 

Estaremos sempre juntos em oração e como diz o nosso querido Pe Claudino no coração trespassado do Bom Pastor.

publicado por M.M. às 20:15
tags:

Segunda-feira, 08 de Setembro de 2008

São horas, são horas!
Portugal, vive a missão!
São horas de partir, (bis)
São horas, Portugal, rasga horizontes!
Responde à história e vai
Levar palavra e pão!
Portugal, vive a missão!

1. Escuta a voz de Deus na voz do vento
E tantas bocas mudas a chamar.
Descobre no silêncio o chamamento
Que chega de outro mar.

2. Não digas “sou feliz” se alguém não é;
Não digas “tenho paz” se alguém não tem.
Só com felicidade, paz e fé
Não salvarás ninguém.

3. Tu sabes onde está a chave certa
Das portas que se fecham à verdade
E sabes o segredo que liberta
Da fome a humanidade.

4. Ninguém comprou o sol que hoje nasceu,
Ninguém privatizou a salvação.
Não és dono da estrada para o céu.
Vai e segue o coração.

Texto: Fr. M. Rito Dias
Música: António Cartageno

 

Ler as conclusões do Congresso aqui.

publicado por M.M. às 00:13
tags:


Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Go revolution
Join Greenpeace 7 Step Climate Campaign
Em acção
www.greenpeace.pt
mais sobre mim
as minhas fotos
pesquisar
 
as minhas fotos
subscrever feeds